Salvação Só Em Jesus. Porque não sou catolico?



"A igreja Católica tem uma origem e uma eficácia salvadoras". Rejeitamos essa declaração porque, segundo a Bíblia, o pecador jamais poderá ser absolvido da sua culpa sem que os seus pecados sejam lavados e purificados pelo sangue de Jesus.

Para isso é preciso experimentar o princípio doutrinário da salvação baseado na justificação, regeneração e santificação.

Um indivíduo só é declaradamente convertido quando passa simultaneamente por esses três estágios.

Na justificação três personagens executam papéis distintos: Deus é o juiz, Cristo, o advogado e, o pecador, o réu. O homem não convertido é considerado transgressor da Lei e culpado diante de Deus mas, a partir do momento em que se arrepende e aceita o sacrifício de Cristo inicia-se nele o processo do novo nascimento, sendo o pecador regenerado e absolvido da culpa pelo sangue de Jesus.


A salvação e a regeneração constituem-se em uma experiência subjetiva e acontecem através da atuação do Espírito Santo, que convence o ser humano do pecado, da justiça e do juízo, João 16.8. A alma morta em transgressões sente que precisa de uma nova vida, e então se confessa diante de Deus.


Dessa forma o homem recebe o perdão através da graça concedida por Jesus Cristo, é regenerado, torna-se herdeiro das riquezas celestiais e entra no seio da família cristã como filho de Deus.Na terceira etapa, que é a santificação, o homem procura harmonizar-se com Deus em todos os aspectos da vida, e luta todos os dias para alcançar a estatura de varão perfeito e filho amado.

Depois de recebido na família espiritual como irmão em Cristo e filho de Deus, o novo crente, outrora servo do pecado, passa a servir ao Senhor trabalhando para o engrandecimento do Reino aqui na Terra. A experiência da salvação, ou estado de graça, resulta na justificação através da fé, conforme Romanos 5. 1,2: "Sendo, pois, justificados pela fé, temos paz com deus por nosso Senhor Jesus Cristo; pelo qual também temos entrada pela fé a esta graça, na qual estamos firmas e nos gloriamos na esperança da glória de Deus".

A expiação de cristo na cruz do Calvário satisfez plenamente as exigências de Deus em relação á nossa salvação. a entrega do nosso coração a Cristo resulta no perdão ou remissão dos nossos pecados. O Espírito santo testifica desse perdão recebido e a nossa vida cristã será definida pela obediência e o nosso serviço fiel a Cristo.A salvação segue um único caminho, conforme disse o próprio Cristo em João 14.6 "...Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai senão por Mim".


Descartamos, portanto qualquer intermediação que pretenda nos levar atá Deus. Nenhuma instituição religiosa, por mais nobre e pura que seja em seus propósitos; nenhum ser humano, mesmo que esteja cercado de boas intenções, tem poder para restaurar a comunhão eterna do ser humano com o Todo-Poderoso ou lançar outro fundamento além do que já está posto, que é Cristo. Não há meio termo: ou a pessoa reconhece o senhorio de Cristo e o aceita como único caminho até Deus, ou continua submersa na escuridão da ignorância e do pecado, que gera a morte espiritual.




Eu te respondo porque não sou catolico.
Não sou Católico Romano, porque não encontrei uma passagem no novo testamento que mostre algum dos apóstolos diante do altar incensando imagens. A razão porque não encontrei, é que o culto das imagens foi decretado pelo 2.º Concilio de Nicéia 787 depois de Cristo.

Não sou Católico Romano, porque não encontrei no Novo Testamento um só trecho que fale de ter havido na Igreja primitiva alguma procissão eucarística. A razão porque não encontrei, é que começou em 1360 anos depois de Cristo.

Não sou Católico Romano, porque não encontrei um versículo qualquer na Bíblia que recomende o uso do rosário. A razão porque não encontrei, é que apareceu com o Pedro Eremita em 1090 depois de Cristo.

Não sou Católico Romano, porque não encontrei na Bíblia Sagrada um só mandamento que proíba o casamento dos ministros da religião. A razão porque não encontrei, é que foi proibido pelo Papa Gregório VII em 1074 depois de Cristo.

Não sou Católico Romano porque não encontrei nas Escrituras Sagradas a palavra “Purgatório”. A razão porque não encontrei, é que não existe e só foi promulgado pelo concílio de Trento, em 1563 depois de Cristo. Antes desta data não havia nenhuma alma no purgatório, pois não havia sido criado pelo Papa.

Não sou Católico Romano porque não encontrei na Palavra de Deus que se deve orar e render culto aos Santos e aos Anjos. A razão porque encontrei, é que foi criado pela Igreja no ano 788 depois de Cristo. E o culto das imagens foi decretado pelo 2º Concilio de Nicéia em 787 depois de Cristo.

Não sou Católico Romano, porque não encontrei nas Escrituras Sagradas que entre Deus e os homens há outro mediador e intercessor fora de Jesus Cristo (I Tim 2:5)

Não sou Católico Romano porque a Bíblia diz que “se alguém ouvir as palavras deste livro vivera, mas se alguém lhe acrescentar mais alguma coisa. Deus lhe fará vir sobre eles as pragas escritas neste livro. E se alguém “Tirar quaisquer palavra do livro desta profecia, Deus lhe tirara a sua parte da arvore da vida e da cidade Santa." (Apocalipse 22:18,19).

Não sou Católico Romano, porque disse Jesus em Apocalipse “sai dela povo Meu para que não sejas participante dos seus pecados e não tomes partes nas suas pragas” (Apoc. 18:4).

Ao leitor inteligente, bastam estas advertências, uma vez que provamos que Roma Papal incorre nas condenações de Deus.
Ela mudou, acrescentou, e diminuiu a palavra divina em concílios e decretos, por estas razoes não sou Católico Romano.
E no dia que encontrar qualquer Católico Romano Padre ou leigo que provar com versículos a autenticidade para tais doutrinas, deixo de ser Cristão Evangélico para ser Católico Romano.
(Artigo extraído do livro "Qual a Igreja Verdadeira?", do Pr. Silas Malafaia)


Ouça tambem a pregação e o debate sera muito enriquecedor para sua vida !Pregação Pr Juanribe Pagliarin: Igreja católica, a única certa Debate: Entre pastores e padres.mp3

Nenhum comentário:

Postar um comentário