[Untitled]


Plano de Leitura da Bíblia



Existe muitas formas de ser usar a Bíblia. Ela difere de todos os livros que conhecemos, por ser a revelação de Deus para o homem. Através dela conhecemos a Deus e temos nela o guia dos princípios de vida pelos quais devemos ordenar nossos caminhos. Esta cheia de promessas, mandamentos e diretrizes e tem como autor o próprio Deus, na pessoa do Espírito Santo, como está escrito:

"Porque nunca jamais qualquer profecia foi dada por vontade humana; entretanto, homens santos falaram da parte de Deus, movidos pelo Espírito Santo." 2 Pedro 1:21
"Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra." 2Tm 3.16,17

Dentre as muitas maneiras de nos aproximarmos da Bíblia e a usarmos, destacaremos algumas:

1- Lendo-a:
Tomando conhecimento do que ela diz. Deus nos ordena, por boca do profeta Isaías:
"Buscai no livro do Senhor, e lede..." Is 34.16
E essa leitura deverá ser repetida:
"E o terá consigo e nele lerá todos os dias da sua vida, para que aprenda a temer o SENHOR, seu Deus, a fim de guardar todas as palavras desta lei e estes estatutos, para os cumprir." Dt 17.19

Um programa de leitura da Bíblia (veja abaixo) deve ser estabelecido por nós. Terminada uma leitura, começamos outra. Quanto mais vezes a lermos, tanto mais fácil será entendê-la.

2- Estudando-a:
Assimilando seus princípios, mandamentos e promessas. Isso envolve mais do que ler, Precisa de caneta e papel para tomar nota, esboçar, buscando fixar o ensino. Paulo recomenda:
"Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade." 2Tm 2.15

3- Meditando-a:
Deixando que suas verdades sejam aplicadas às diversas áreas de nossa vida. Meditar é "ruminar". Um animal que rumina come o alimento e mais tarde regurgita-o, isto é, trá-lo de volta à boca e o mastiga vagarosamente, extraindo dele todos os nutrientes. Meditar é a mesma coisa. Primeiro lemos a Palavra, estudamo-la e podemos até decorá-la. Mas então vamos mais além e começamos a "mastigar" a Palavra, pensando, refletindo, assimilando-a, aplicando-a à nossa vida, transformando-a em nossa oração. Há vintes referências diretas na Bíblia à meditação, sem falar dos seus sinônimos. Logicamente, quem medita, primeiro leu ou ouviu.
"Não cesses de falar deste Livro da Lei; antes, medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer segundo tudo quanto nele está escrito; então, farás prosperar o teu caminho e serás bem-sucedido." Js 1.8
"Bem-aventurado o homem que não anda no conselho dos ímpios, não se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores. Antes, o seu prazer está na lei do SENHOR, e na sua lei medita de dia e de noite." Sl 1.1,2
"Medita estas coisas e nelas sê diligente, para que o teu progresso a todos seja manifesto." 1Tm 4.15
"As palavras dos meus lábios e o meditar do meu coração sejam agradáveis na tua presença, SENHOR, rocha minha e redentor meu!" Sl 19.14

4- Memorizando-a:
Permitindo que ela seja o material para nossa estrutura de pensamento e raciocínio e venha em nosso auxílio, prontamente, no momento da necessidade.
Ora, para que a Palavra esteja na minha boca, primeiro tem que entrar em minha mente. Só sai da boca o que foi assimilado, estudado e decorado.
O mandamento é claro:
"Estas palavras que, hoje, te ordeno estarão no teu coração; tu as inculcarás a teus filhos, e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e ao deitar-te, e ao levantar-te." Dt 6.6,7

5- Usando-a como arma:
Contra todas as mentiras e insinuações do diabo em nossa mente. As fortalezas inimigas, referidas por Paulo em 2 Coríntios 10, são construídas na mente a partir de pensamentos, raciocínios, conceitos e imagens, todos falsos e mentirosos. Tendo a Palavra na mente e no coração, teremos com que desferir golpes e demolir as fortalezas. "está escrito" foi a arma usada por Jesus e o será igualmente por nós, sabendo que a Palavra de Deus é a Espada do Espírito.
"Tomai também o capacete da salvação e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus." Ef 6.17

6- Confessando-a:
Com os lábios como verdade absoluta em todas as circunstâncias.
"Pois esta palavra está mui perto de ti, na tua boca e no teu coração, para a cumprires." Dt 30.14
Confessar a Palavra é proferi-la como uma convicção do nosso espírito. O que creio no coração, isso confesso. Ao fazê-lo, há um poder de vida que é liberado. A Palavra de Deus é como semente. Quando confesso é como se a plantasse. Confessá-la repetidamente é como regá-la. Ora, sementes plantadas e regadas, terminam germinando.
"Tendo, pois, a Jesus, o Filho de Deus, como grande sumo sacerdote que penetrou os céus, conservemos firmes a nossa confissão." Hb 4:14

7- Usando-a como a base de orações ao Pai:
Deixando que ela seja o veículo da nossa comunicação verbas com Ele. Podemos ler toda a Bíblia, transformando-a em oração, enquanto confrontamos com ela e a palavra especifica que está sendo objeto da nossa oração, produzirá seu efeito em nós. Toda nossa conversa com o Pai pode ser baseada na Palavra escrita. É isso que chamamos de "orar a Palavra".

8- Plano de Leitura da Bíblia em um ano:
Imprima as tabelas bimestrais e leia a Bíblia em um ano.
Instruções para impressão

Nenhum comentário:

Postar um comentário