A Responsabilidade e Sua

Avivamento já! Este é o clamor contido no coração do verdadeiro adorador. Um regresso à santidade por meio do arrependimento sincero, verdadeiro e modificador.

Precisamos de uma consciência convertida, levando-nos desesperadamente de volta ao primeiro amor, onde tudo era extremamente simples e fácil. O nosso amor era radical e de caráter inteiriço. Fazíamos tudo e qualquer coisa por Ele, a qualquer hora e sem o menor constrangimento.

Éramos fiéis seguidores e amantes devotos. Naquela época, vivíamos a plenitude de Mt. 11: 30, não é verdade? Precisamos voltar a esta “praça dos namorados” onde O encontramos pela primeira vez e nos apaixonarmos por Ele, só que desta vez, por uma eternidade. Por que é que tantos caem desta altura? - Ap. 2: 4 e 5. O que pode ser mais importante do que o Amado de nossas almas? Fazemos com Ele o que muitas vezes fazemos com os nossos cônjuges.

Você se lembra do seu período de namoro? Geralmente é uma loucura. As vidas giram e consumem-se por um desejo infinito de estarem juntas. Até durante as desavenças, ainda que calados, os inseparáveis, corajosamente ficam juntos. A eternidade parece não ser o suficiente para se acolherem aos braços da pessoa que tanto amam. O maior inimigo deste período é o irredutível Sr. Relógio, e o sogro exigente e inflexível chega num próximo segundo lugar. O diabo, quando muito, fica num desesperado terceiro lugar, a não ser que atue diretamente no primeiro e segundo colocados... São tantas as desculpas e culpados, menos os “pombinhos”, é claro. São períodos de inovação, criatividade, super paciência e “muito amor”. Mas depois de alguns anos, já casados, as nuvens sobre as quais habitam e passeiam vão ficando cada vez mais ralas e acabam firmando os pés em terra seca. Embora o amor desponte ardorosamente em maneiras outrora desconhecidas e a dependência mútua acentua-se, a atenção devida e exigida, por ambas as partes, não alinha-se às necessidades vigentes do minuto a minuto. Eu sei que isto não é uma constante, contudo acontece, não é verdade? Cada vez mais, se tem menos tempo para o cônjuge e é doado mais tempo para o trabalho ou “chamado”.

Fazemos o mesmo com Jesus, só que de uma maneira pior. Vamos nos acostumando com o Seu serviço, com a Sua onipresença, o chamado sacerdotal, enfim, o cotidiano do átrio e esquecemo-nos que existe algo mais intenso e extremamente mais íntimo e glorioso, a presença manifesta de Deus no Santíssimo Lugar. Pior é já O tratarmos com descaso, sabendo-se que ainda nem celebramos o enlace matrimonial.

O que escrevo é uma realidade infeliz e visível na casa de Deus. Da próxima vez que fores a um santuário, se a glória de Deus não lhe envolver como um pai envolve a um filho amado em seus braços, observe o alto nível de atividade e desconsideração para com Deus, na casa de Deus.

A casa de Deus deveria ser um lugar de adoração e não de ativismo. Nós, membros da equipe do “Ministério Fogo e Glória”, temos visto e ficado aterrorizados com a falta de reverência e o desapreço de muitos para com o Galardoador daqueles que O buscam - Hb. 11: 6. A batalha NÃO é nossa, Ele peleja por nós, diz as Sagradas Escrituras, todavia, insistimos terminantemente em atentarmos a tudo, e a todos na hora de cultuarmos a Deus. Temos que discernir as estações. Existe hora para tudo. Não insinuo com isto que é necessário desrespeitar a todos e tudo que se move, mas uma palavra de sabedoria e orientação de vez em quando cai muito bem.

Muitas vezes invertemos os maiores mandamentos de Deus. O primeiro é amar a Deus de TODO o seu coração, de TODA a sua alma e de TODO o seu entendimento (forças), e em segundo lugar, amar a nosso próximo como a nós mesmos - Mt. 22: 37 - 39. Prezado leitor, é muito amor! Contudo, às vezes damos mais reverência, respeito, atenção, temor, e amor ao nosso próximo do que damos ao nosso Aba Pai, ou seja, Paizinho. Estas irreverências ocorrem do mais alto escalão de uma igreja - se é que existe isto na casa de Deus, e perante os Seus olhos - até o mais menosprezado. Conversa fora de hora, movimentação desnecessária, distrações inúmeras - até mesmo sobre a plataforma -, a total dependência do homem, falta de observância dos imperativos divinos, estrelismos, programações para acomodar os caprichos do homem, telefone celular..., eu disse telefone celular? Permita-me o espaço e a graça para expandir sobre este instrumento bem-vindo, porém, profanado. Perdoa-me a franqueza, mas o celular ativo na igreja é o cúmulo da insensibilidade, imaturidade e ausência de confiança em nosso Refúgio, Fortaleza e socorro bem presente. Na casa de Deus temos que estar disponíveis para Deus e não para as distrações geradas pelo inimigo de nossas almas. A linha para falarmos com Deus jamais está ocupada, e não precisamos de nenhum “novo carro” feito pelas mãos do homem para falarmos com Ele (leia I Crônicas 13 para ver a lição cara que Davi aprendeu usando os métodos humanos a despeito da motivação honrosa e correta). Agora, se isto não bastar, ligue para o operador celestial Jeremias, e peça-lhe para discar o número 33: 3. Tendo ouvido as suas palavras de sabedoria, peça para falar com João, no ramal 8: 32. Deus jamais discará o número do seu celular, embora, isto não seja impossível, só que creio que Ele prefere vir pessoalmente. A Bíblia diz que Ele - pacientemente - bate na porta do Seu coração - enquanto você... fala com o seu irmão - Ap. 3: 20. Não aplicando esta infortunada inobservância à sua pessoa, sei que você deve conhecer alguém que usa desta falta de conhecimento. Fale ou interceda por ele. A Bíblia nos diz que não podemos entristecer o Espírito, e esta distração tem sido usada para fazer justamente isto - Ef. 4: 30. Se a palavra de Deus nos adverte contra isto, temos que observar o mesmo com abundante atenção. A nossa atenção não pode descarrilar. Perdemos muito com isto; Ele também!

A visão que temos de Deus, influencia a nossa atitude e o nosso relacionamento para com Ele, afetando até mesmo a nossa maneira de O adorarmos. Pare e reflita sobre isto. A profundidade do nosso louvor e adoração (imperativos divinos) é inteiramente relativa ao conhecimento que temos de Deus, e este por sua vez, é inteiramente refletido em nossas ações e em nosso comportamento 24 horas por dia.

Conclusão

É melhor eu ir desacelerando por aqui. Você há de convir comigo que há uma carência muito grande de intimidade para com Deus por parte da noiva de Cristo. Eu sei que existem pessoas desesperadas no mundo que aguardam um deslocamento nosso nesta direção para invadirem a igreja. Atraia a Deus e Ele atrairá os homens.


Aos seus pés

David M. Quinlan
www fogoegloria.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Chat da radio Resgate Net

Para trocar o nome : Você que esta verde com um nome estranho,o primeiro da lista para alterá-lo clic nele , abrirá uma janela, apaga o nome estranho e coloque um de sua preferencia e clica em OK. confira clic AQUI
Get Resgate_Net chat group | Goto Resgate_Net website